domingo, 15 de janeiro de 2017

Às voltas na Linha (3)


Fim da caminhada, na Marina de Cascais. Espero que tenham ficado com vontade de fazer a caminhada e descubram alguns locais apenas visíveis por quem se atreve a sair do trilho.
Eu fiz isto o percurso durante uma manhã ( comecei por volta das 8 em Paço de Arcos), mas mesmo em prestações, vale a pena. E agora, com o tempo fresquinho, até é mais convidativo...







sábado, 14 de janeiro de 2017

Às voltas na Linha (2)


Segunda etapa da caminhada. Começa nas imediações do Centro de Interpretação Ambiental (S.Pedro do Estoril) e termina num bar com uma localização magnífica em S. João. Pelo meio fica a publicidade a um empreendimento de lixo a escassos metros de uma "caverna" onde vive gente!














sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Às voltas na Linha (1)

Este fim de semana, desde hoje até domingo, pulicarei aqui fotografias de uma caminhada entre Paço de Arcos e a Marina de Cascais, que fiz em Setembro.
A curiosidade é que fiz o caminho todo sem ir à Marginal. E assim descobri alguns recantos que nunca tinha podido observar.
A partir de agora, quase sem palavras, metam-se ao caminho para o primeiro terço da caminhada.


















quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Entre muralhas


Continuamos bem a Norte


Hoje vamos até à cidade fronteiriça Valença


Sem comentários
Deixo-vos apenas a desfrutar o passeio pelas ruas da cidade muralhada







E a repousar a vista sobre o Minho, com Espanha em fundo



Se quiserem comprar uns caramelos espanhóis, é só atravessar a ponte, porque Tuy está mesmo ali ao virar da esquina.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Por terras de Deu la Deu


Hoje viajamos ainda mais para Norte. Passagem por Monção, para almoçar no magnífico restaurante Sete a Sete


 Depois um pequeno passeio para fazer a digestão



Apreciar os pormenores


Descansar o olhar no rio


Dar uma espreitadela aos nossos vizinhos espanhóis de Salvaterra do Miño


E lembrar Deu la deu, a mulher que


 E fazer o caminho de regresso ao carro, depois de uma rápida passagem pelas termas




Já de saída, uma paragem no Palácio da Brejoeira. Para visitar o sumptuoso edifício, mas também o bosque e jardim  envolventes. E, para quem possa e aprecie, provar o magnífico néctar que se produz naqueles vinhedos. Mas só provar porque se conduzir, não beba...

Como só voltarei aqui depois do Natal, aproveito para desejar a todos os leitores que têm a paciência de por aqui passar, umas festas felizes.